Classificação dos Cristais

Classificação dos Cristais

 

Por Andressa: cristaishomepage@ieg.com.br
No reino dos cristais existem sete sistemas. Cada um deles toma

o nome da sua forma

 

tipo, a saber: cúbico ou isométrico (cubo- fluorita);

quadrático ou tetragonal (prisma

 

reto de base quadrada - wulfenita); ortorrômbico

(paralelepípedo retângulo - topázio);
hexagonal (prisma reto de base losangular tendo um ângulo de

120 graus - esmeralda,
berilo); romboédrico ou trigonal (de três faces, como o

quartzo); monoclínico ou
clinorrômbico(prisma oblíquo de base losangular - azurita); e

triclínico(paralelepípedo
de base losangular - amazonita). Considerando sua forma física

- tamanho,
transparência, inclusões - Antonio Duncan, no livro ABC dos

Cristais (ed. Nórdica),
apresenta uma classificação energético-mística mais definida,

dividindo os cristais em:
Geradores
São os mais comuns e possuem uma única terminação e uma base.

Como sua função é
gerar força cósmica, eles têm que ser geometricamente

perfeitos.
Biterminados
Destituídos de base, possuem terminação dupla, através da qual

projetam a energia que
se concentra no meio do seu corpo. São empregados na

transmissão e recepção
simultânea de energia entre dois pontos (chakras, pessoas,

etc).
Drusas ou Aglomerados
Ideais para energização e purificação de ambientes, bem como

para limpeza e recarga
de cristais menores, são formações que compreendem vários

cristais de terminação
única compartilhando a mesma base.
Arquivistas
Considerados muito especiais, trazem símbolos gravados ou

riscados em uma ou mais
de suas faces - em geral pequenos triângulos ou espirais.

Arquivam informações
transmitidas energeticamente ou no nível da memória

subconsciente. Ideais para
meditação, não devem ser vistos nem tocados por outra pessoa.
Arco-íris
Quando bem iluminado, podemos ver em seu interior pequenos

arco-íris. São indicados
para trabalhar sentimentos de tristeza, melancolia e depressão.
Tabulares
Difíceis de serem encontrados, possuem dois dos lados opostos

maiores e mais largos,
o que torna o cristal achatado. Em geral são biterminados, têm

vibração alta e
freqüência energética diferente da dos outros cristais,

permitindo o estabelecimento de
um elo profundo entre o indivíduo e o seu eu superior.

Recomenda-se o uso em
meditações profundas ou como professores.
Esferas ou Bolas de Cristal
São excelentes instrumentos de meditação e clarividência, com

lapidações especiais
que distribuem a energia de forma homogênea.Voltar